segunda-feira, fevereiro 26, 2007



Instantâneo.

O tempo mala da saudade
Brinca ao amanhecer
Nos olhos da menina
E à tarde lágrimas
Banham a mochila do anoitecer
Com cores inexatas
Onde brota uma azaléia
Medrosa cor
(corpo de mulher)
Na busca do amor.

Eliane Alcântara.

2 comentários:

touche disse...

Oi,Eliane.Vejo que já conseguiu remodelar seu blog,está legal como sempre. Demorei,mas voltei por aqui.Sinto falta dos teus textos e das tuas fotos. Não tenho como vir ao seu blog sempre,mas é muito bom saber que sempre serei benvindo. Você igualmente é benvinda ao meu espaço,as portas estarão sempre abertas. E sempre será recebida com braços abertos.Como convém a uma musa. "Todo encontro guarda o inesperado dentro de si." Roberta Paiva . Isso vale para os quelonios e as azaléias,o amor não poupa ninguém. Beijos e afetos

Cássio Amaral disse...

Lirismo bom esse seu!
Ótimo fim de semana.
Fui lá no Bar do Escritor e enchi a cara. risos...
Beijo.