terça-feira, dezembro 19, 2006

(Francisco Goya - Saturn Eating Cronus).


Passa (o) tempo.


Trabalhei um pensamento
Para criar um instante
Que me fosse eterno.

De nada serviu tanto empenho
Se quando desisti
Descobri no silêncio:

A eternidade das coisas
Não dura mais
Que o atual momento.

Eliane Alcântara.

3 comentários:

Cássio Amaral disse...

Tudo passa e nós passageiros (de algum trem), que seja bão, não é amiga?
Cara, muito bacana seu poema e a tela de Goya é demais. Vi um pouco do filme dele, que um amigo artísta plástico me mostrou um tempo atrás. O cara é fera!
Beijos e emanações positivas.

Célia disse...

Ola Eliane tudo bem?
Anda meia sumida.
Um Feliz Ano Novo a você e toda a sua familia.
Muitos beijos
Célia

ziney disse...

Amiga, adorei viajar pelos seus versos... Tenha um maravilhoso 2007 recheado de grandes realizações e muitas alegrias... Bjos poéticos deste seu amigo de sempre...