sábado, setembro 06, 2008

16...


16...

Cansei do ser comum
ao alcance de sorrisos.
Minha fome é grande.
Tenho o coração sombreado
a pedir claridade,
porém dispenso
iluminação artificial.
Aguardarei a ternura
da primavera.
Se vem
ouse novo desabrochar,
minha pele anseia
diferente brilho.

Eliane Alcântara.

Um comentário:

Fernando Rozano disse...

tua escrita cada vez densa e rica. flui, busca o mar...lindo, Eliane. beijo.