segunda-feira, setembro 15, 2008

21...

21...

Faz tempo não vejo
o brilho azul das noites.
Ausência diz sim,
há presença.
Lágrimas dizem não,
há saudade.
Estou doente de...
Lá fora frio,
dentro come o calor.
E eu, temperatura oscilo.
Meça a febre,
seu termômetro é bem-vindo.
Seu mimo me cura.

Eliane Alcântara.

2 comentários:

Fernando Rozano disse...

poema extremamente afetivo e de muita emoção no sentir. expressões ricas e bem construídas, revelam mais uma vez todo o teu talento e tua sensibilidade. beijo.

JMJC disse...

ola Eliane!!!!!!!!!!!!re-li algumas vezes, adorei, ficou mt mt bonito, nao vou pegar nas palavras q usas-te pois sao bem claras......
parabens pl tua linda maneira de (d)escreveres o q te vai na alma! beijosssssssssssssssssss