segunda-feira, setembro 01, 2008

12...



12...

Estou a sua procura
e quero o meu encontro.
Um dia de nada para fazer,
algo meio assim capaz de ferir,
de rasgar e deixar lapidada
a alma para o futuro.
E que a vida explique
a versão em que sou,
inteiramente,
senha particular
da sua metade,
coisas do amor.

Eliane Alcântara.

Um comentário:

Fernando Rozano disse...

cada poema da seqüência um universo de leituras e muita densidade nso versos, em metáforas belíssimas. escrita madura. beijo.