segunda-feira, agosto 25, 2008

6...



6...


Quero estar com você a cada segundo
e desfrutar os simples segredos que a vida oferece.

Pensar e realizar ao seu lado
as fantasias não vividas até agora a sua espera.

Fui quimera dos meus sonhos
e longe dos seus braços fui angústia e solidão.

Quedei-me na passarela do inexistente
e o que sobreviveu quer mais, quer matar a saudade.

Hoje saúdo a caminhada como quem morre
vencedora de uma batalha ganha. De pé como os santos.

Tudo o que esqueci, anulei na alma,
matei e cedi para o recomeço a mulher que ama.

Não tenho cicatrizes ou indecisões,
nas mãos trago alegrias para o seu corpo ardente.

Minha pele chama a sua
herdei dos loucos a iniciação necessária ao princípio.

Não demore mais e nem venha como nos contos de fada,
sou feita de realidades a altura dos desejos. Aos meus intentos só o exagero.
Eliane Alcântara.

Um comentário:

Fernando Rozano disse...

amar é sempre um recomeço, da alma e da carne. belo, Eliane. beijo.